Através de um evento criado na rede social Facebook, mais de 800 pessoas já se inscreveram para vasculhar a zona onde desapareceu a menina Maëlys de Araújo, lusodescendente de nove anos, em Pont-De-Beauvoisin, na madrugada do passado domingo, quando estava numa festa de casamento.

O jornal regional francês Le Dauphiné libéré, que cobre noticiosamente a região onde fica o departamento de Isère, no sudeste de França, perto das fronteiras com Itália e Suíça, refere que "mais de 800 pessoas já se inscreveram" para procurar a pequena Maëlys de Araújo, apesar das buscas levadas a cabo pela polícia dsde o seu desparecimento, usando agentes, drones, cães farejadores e mergulhadores para verificra as lagoas existentes na região.

O evento criado por Nour-Eddine Ghaoui, residente em Grenoble, começará às 8:00 da manhã locais (7:00 em Lisboa), tendo como ponto de encontro a câmara local de Pont-de-Beauvoisin.

Vamos tentar cobrir a área por zonas de busca. Quinze pessoas por zona e quantos mais formos, mais zonas poderemos verificar", escrevem os organizadores da operação, cujo evento está no Facebook.

Dois detidos

Na manhã de sexta-feira, a procuradora Dietlind Baudoin, da comarca de Bourgoin-Jallieu, anunciou que um segundo homem fora detido.

Uma outra pessoa, um homem igualmente de 34 anos, foi detido de manhã às 10:45", afirmou a procuradora, citada pela imprensa francesa.

A procuradora esclareceu ainda que se pretende "confrontar as declarações dos dois indivíduos" detidos, já que o primeiro vai manter-se à guarda das autoridades, pelo menos, até sábado.

Segundo revela a página na internet do jornal Le Dauphiné libéré, o primeiro homem detido na quinta-feira será colega de trabalho do noivo. Já o segundo, que a justiça deteve esta sexta-feira, seria amigo do primeiro.

Discussão com Maëlys?

O homem detido na quinta-feira, cuja detenção foi prolongada, foi já questionado por terem sido detetadas incongruências no seu depoimento sobre o que fez e como ocupou o tempo durante o copo de água do casamento.

Alguns convidados terão mesmo adiantado à polícia, que o terão visto quase a discutir com a pequena Maëlys de Araújo durante a festa, segundo conta o jornal Le Dauphiné libéré.

De acordo com este jornal, esta sexta-feira a as buscas prosseguiram "com um dispositivo aligeirado e sobre um perímetro alargado", segundo um comandante da polícia.

Damos atenção a todas as fotos e vídeos, além de todos os telefonemas recebidos na polícia", afiançou o coronel Yves Marzin, da polícia de Isère, lembrando haver também "um trabalho extremamente fastidioso e importante na sombra. Enquanto houver esperança, estamos comprometidos".