Um menino de dois anos matou a mãe, de forma acidental, nos EUA, depois de encontrar uma arma no carro em que estavam. O incidente aconteceu na cidade de Milwaukee, no Estado de Wisconsin. A mulher, Patrice Price, de 26 anos, conduzia um veículo do namorado, um segurança particular que tinha deixado a arma no carro, disse à estação local TV WISN o pai da vítima, Andre Price.

De acordo com a Associated Press, Patrice Price foi atingida com um tiro nas costas enquanto conduzia o carro, terça-feira de manhã, numa estrada local. A mãe da vítima e o outro filho, de um ano, também estavam no carro.

O pai da vítima revelou que Patrice Price também deixou uma filha mais velha, e descreveu a filha como "trabalhadora".

"Agora não a tenho mais. Tenho um nó no peito. Nem me deixaram ver minha filha. Queria abraçá-la uma última vez", afirmou Andre Price à TV WISN.

Em março, na Florida, um homem, Jamie Gilt, de 31 anos, foi atingido a tiro nas costas pelo filho de quatro anos, em circunstâncias semelhantes à de Patrice Price. A arma escorregou do banco da frente do carro e a criança, que recentemente tinha aprendido a desatar-se, conseguiu livrar-se do cinto de segurança e agarrá-la. O pai sobreviveu ao acidente.

De acordo com a organização americana Everytown for Gun Safety Support Fund, houve pelo menos 278 casos nos EUA, em 2015, em que uma pessoa com menos de 17 anos matou ou feriu alguém com uma arma de forma não-intencional. Em 2016, já são ao menos 77 casos.

Ainda de acordo com a organização que se dedica a estudar e tentar reduzir a violência armada nos EUA, mais de dois milhões de crianças no país vivem em casas onde as armas não são guardadas de forma segura.

Entre 2004 e 2013, pelo menos 999 adolescentes e crianças com menos de 18 anos morreram nos EUA de feridas causadas de forma involuntária por armas, aponta um relatório da ONG Law Center to Prevent Gun Violence.

O país tem elaborado medidas para tentar enfrentar o problema: 28 Estados e o distrito de Columbia possuem leis que, de diversas formas, criminalizam proprietários de armas que permitem o acesso de crianças a esses equipamentos.

Em 14 Estados, as leis são mais brandas e apenas responsabilizam os donos se permitirem o acesso à arma por negligência ou de forma intencional. Guardar a arma de forma negligente, por si só, não é alvo de sanções.

Pelo contrário, há três Estados e o distrito de Columbia onde um proprietário de arma de fogo pode responder na Justiça apenas por possibilitar que um adolescente ou criança tenha acesso a uma arma guardada de forma negligente.