A polícia australiana veio a público informar que foi encontrado o corpo de uma criança de “cabelo claro”, dentro de uma mala. O cadáver ainda não foi identificado, mas é de uma rapariga que foi assassinada há cerca de oito anos. A descrição das autoridades tem semelhanças com o caso de Madeleine McCann e tem levantado especulações nos media australianos.

A polícia afirmou que o corpo pertence a uma rapariga de raça caucasiana, de cabelos claros, com 91 centímetros de altura e que terá sido morta noutro local, por volta de 2007. A vítima vestia um tutu preto e foi encontrada uma colcha dentro da mala, que, segundo as autoridades, foi manufaturada em Nova Iorque, há cerca de sete ou oito anos.

A descrição tem levanto suspeitas nos meios de comunicação local, que alertou para a possibilidade do corpo pertencer a Madeleine McCann. Os pormenores descritos correspondem ao retrato físico da rapariga britânica, que tinha três anos quando desapareceu no Algarve, há oito anos.

Contudo, a polícia insiste que “não há provas” que sugiram que o corpo pertença a Madeleine McCann e afirmou que “as investigações se estão a focar no Sul da Austrália, mas estão a ser consideradas todas as crianças desaparecidas”.

“Neste momento não há qualquer prova que indique que a criança é Madeleine McCann… sugerir isso, agora, seria apenas uma especulação para chamar à atenção”, disse Grant Stevens, comissário da polícia estadual que, no entanto, acrescentou que “até haver confirmação da identidade da criança é preciso estar aberto a todas as possibilidades”.


As autoridades afirmaram ainda que a rapariga “sofreu uma morte violenta” e que têm “a certeza da forma como morreu – o porquê, quem e as circunstâncias, é que são impossíveis de apurar de momento”.

Ao que tudo indica, o esqueleto foi transferido para a mala há cerca de quatro meses e abandonado numa estrada perto da vila de Wynarka, a 128 quilómetros de Adelaide. As ossadas, que se pensa que tenham sido retiradas da mala, foram avistadas por um motorista que passava na via, no dia 15 de julho.

As autoridades já tentaram estabelecer uma relação entre o corpo encontrado e a lista de crianças desaparecidas na Austrália, mas ainda não conseguiu encontrar qualquer correspondência. Há ainda a possibilidade do desaparecimento não ter sido reportado.