Sir Clement Freud, radialista e político inglês, está a ser investigado no caso do desaparecimento de Maddie McCann, na praia da Luz em maio de 2007. O homem, que foi acusado esta semana de ter abusado sexualmente de crianças ao longo de vários anos, tinha uma casa perto do complexo turístico onde estava o casal britânico quando a menina desapareceu.

O ex-governante britânico, que morreu em 2009, era irmão do pintor Lucian Freud e neto do pai da psicanálise Sigmund Freud.

Durante décadas, o homem terá abusado de pelo menos duas crianças. Sylvia Woosley tinha 10 anos quando os abusos começaram e Vicky Hayes terá sido molestada em criança e violada aos 18 anos.

Vicky Hayes, agora com 64 anos, deu uma entrevista à ITV News onde revela ter ficado bastante chocada quando descobriu, ao ler o livro escrito por Kate McCann, "Madeleine", que Freud tinha convidado o casal para jantar em sua casa, pouco tempo depois do desaparecimento da menina.

Ele era um homem reservado, não era do tipo que quereria travar amizade com um casal com tanta exposição mediática”, disse.

Reservado ou não, Freud terá mantido contacto com os pais da menina depois do desaparecimento de Maddie, em 2007. Segundo o Telegraph, o radialista convidou o casal para ir a sua casa pelo menos por duas vezes. Para além destas ocasiões, as conversas entre Freud e os McCann eram mantidas por telefone e email.

Ninguém pensava que Freud seria capaz de abuso sexual ou violação, mas ele abusou de mim. Ele era capaz de qualquer coisa”, acrescentou Vicky Hayes.

Quando tomou conhecimento da relação entre os pais de Maddie e Clement Freud, a mulher escreveu à polícia britânica a denunciar a sua preocupação e aquilo por que tinha passado com o homem, mas não obteve qualquer resposta.

Os pais de Maddie já reagiram e disseram estar chocados com a descoberta de que Clement Freud era pedófilo.

A família do ex-político inglês afirma que o homem não estava em Portugal quando a criança desapareceu e que até ao momento não foram contactados pelas autoridades.

A ex-mulher de Clement Freud reagiu entretanto às acusações de pedofilia. Jill Freud, de 89 anos, disse em comunicado que está “chocada e profundamente triste com o que aconteceu àquelas mulheres”.

As autoridades responsáveis pela investigação garantem não descartar nenhuma hipótese e, no caso de Clement Freud, as provas ainda estão a ser reunidas para se compreender se há ou não relação entre o britânico e Maddie.