Uma mulher de 63 anos, acusada de perseguir os pais de Madeleine McCann na internet foi encontrada morta, este domingo, apenas alguns dias após ser desmascarada por um jornalista da «Sky News».

Segundo o «Mirror», Brenda Leyland, de 63 anos, que usava o nome @sweepyface para publicar mensagens de ódio contra Kate e Gerry McCann no Twitter, terá sido encontrada morta num hotel em Leicester, Inglaterra, mas não parecem existir indícios de crime.

Leyland tinha sido desmascarada pelo jornalista Martin Brunt, da «Sky News», que esteve em sua casa para a questionar sobre o porquê das publicações no Twitter, ao que a mulher tinha respondido: «tenho o direito de o fazer».

A mulher terá desaparecido na quinta-feira, e foi descoberta num hotel em Grove Park, por volta da uma da tarde de sábado. A polícia foi chamada ao local e já garantiu que a morte está a ser investigada, sem quaisquer suspeitas maiores.

«Agentes estiveram no local e estamos a preparar um relatório para o médico legista. A identificação da falecida é um problema dele. A morte não está a ser tratada como suspeita», afirmou fonte da polícia, segundo o «Mirror».

A polícia está atualmente a investigar um dossier com várias publicações, do Twitter, Facebook e fóruns, ofensivas dirigidas ao casal McCann, como as que Leyland terá publicado. O «arquivo» foi reunido por pessoas anónimas que temiam pela segurança dos pais de Madie, que o entregaram à polícia de Londres.