Os investigadores da Scotland Yarde chegaram na manhã desta terça-feira a Faro. Reuniram com a Polícia Judiciária e vão dar continuidade às investigações sobre o caso da menina britânica desaparecida na praia da Luz em 2007.

Em agosto, a polícia britânica entregou a quinta carta rogatória às autoridades portuguesas no sentido de realizar novas diligências, que não foram ainda autorizadas pela nova procuradora do Ministério Público de Portimão.

No início de junho, agentes britânicos de investigação forense, PJ e GNR realizaram várias buscas com cães no miradouro da Praia da Luz e em terrenos à entrada da localidade turística da Aldeia da Luz.

Ao todo, foi investigada uma área de cerca de 60 mil metros quadrados, incluindo condutas de eletricidade e gás, esgotos e edifícios em ruínas, com o auxílio de cães pisteiros e georradares, buscas que se revelaram infrutíferas.

Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer quatro anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve.

A investigação da Scotland Yard já custou mais de 9 milhões de euros.