O investigador privado Miraz Ullah Ali Isa afirma ter encontrado Madeleine McCann, desaparecida em 2007 da Praia da Luz, no Algarve, na cidade de Areguá, no Paraguai.

Ali Isa garante que a jovem, agora com 12 anos, está a viver em Areguá com uma mulher, mas recusou-se a apresentar as credenciais de investigador ou qualquer outro documento que reforce as suas considerações, a dizer o nome da sua empresa e esclarece que só esteve três dias no país.

A minha equipa e eu recebemos a informação de que a Madeleine chegou ao Paraguai há um ou dois meses e vive em Areguá sob a custódia de uma mulher", declarou Isa ao ABC Color. 

As recentes alegações do investigador originaram uma enorme operação de busca pela jovem inglesa, reunindo quatro esquadras locais, a divisão de anti-rapto, membros da inteligência do Ministério do Interior e divisões locais da Interpol, confirmou o Comissário Sanny Amarilla, chefe de uma das esquadras da polícia. 

Estamos a investigar bairros onde há cidadãos estrangeiros, vilas, condomínios, para saber se há alguém com uma descrição semelhante e que corresponda aos recortes de jornais que temos", explicou Amarilla. 

 

Estas notícias espalham-se pelo globo, é muito importante. Então, se estão na área precisamos encontrar a rapariga e devolvê-la à sua família", acrescentou o Comissário.

A investigação revelou-se infrutífera e, tanto as autoridades como os jornais, descartam a hipótese de Maddie ter sido avistada, pondo em causa a credibilidade de Miraz Ullah Ali Isa por ter estado "apenas três dias no país e não ter falado com ninguém", avança o Daily Mail. 

Os pais, Kate e Jerry McCann, afirmam não conhecer o investigador e apelam para quem quer que tenha alguma informação entrar em contacto.

Será feita agora uma investigação à história e identidade do investigador pela polícia.