O Egito anunciou este sábado a descoberta de um túmulo da época faraónica de um ourives da realeza que viveu há mais de 3.500 anos durante o reinado da 18.ª dinastia. A descoberta aconteceu na cidade de Luxor, no sul do país. 

O túmulo situa-se na margem ocidental do rio Nilo, num cemitério onde estão sepultados nobres e altos funcionários do governo.

O ministro das Antiguidades, Khaled el-Anany, disse que o túmulo, com as estátuas do ourives e da sua mulher, bem como com uma máscara funerária, data da 18.ª dinastia do Egito, por volta do século XV A.C., e está deteriorado. 

"O trabalho ainda não terminou e continuamos a trabalhar para encontrar mais objetos e mais túmulos", afirmou o governante à agência Reuters.

O ministro disse que um poço existente na tumba continha múmias de egípcios que viveram durante a 21.ª e a 22.ª dinastias.