A Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) deteve 41 pessoas, incluindo um português e um lusodescendente, que se encontravam perto da Praça Altamira (leste de Caracas), onde um grupo de manifestantes tentava impedir a circulação de viaturas com barricadas na estrada.

As detenções tiveram lugar na noite de sexta-feira e, segundo residentes, entre os detidos encontra-se um português de 56 anos de idade, que na altura não tinha na sua posse documentos de identificação. Alegadamente, o português não tinha nada a ver com a manifestação e foi detido quando chegava a casa.

Segundo as fontes foi também detido um lusodescendente, Jacinto Gonçalves, que alegadamente observava os manifestantes e teria sido levado para o Forte de Tiuna, a principal base militar de Caracas.