O prazo dado pelo juiz Sérgio Moro está a esgotar-se: Lula da Silva tem até às 21:00 (hora de Lisboa) para se entregar. No entanto, os desenvolvimentos das últimas horas alteraram o cenário. 

O que é certo é que Lula não vai entregar-se à Polícia Federal em Curitiba, conforme tinha decretado o juiz na quinta-feira. É em Curitiba que têm já uma sala preparada para o ex-presidente do Brasil e que se encontram outros detidos da Operação Lava Jato.

Perante esta afirmação de Lula da Silva ao jornal Folha de S. Paulo, o juiz Sérgio Moro publicou um despacho esta sexta-feira em que esclarece que o ex-presidente pode entregar-se à Polícia Federal de São Paulo.

Recorde-se que Lula se encontra no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo. Está reunido com dirigentes do Partido dos Trabalhadores para decidir o que fazer.

A outra hipótese seria a Polícia Federal de São Paulo a ir detê-lo, mas esta, citada pela Folha, já negou essa possibilidade, uma vez que quer evitar confrontos com os apoiantes de Lula de Silva que entretanto se estão a acumular no local.

De qualquer forma, a Polícia Federal está preparada para transportar Lula para Curitiba e até já tem um avião em São Paulo à espera.

A defesa do ex-presidente brasileiro apresentou esta sexta-feira um novo pedido de habeas corpus e ainda recorreu ao Comité de Direitos Humanos das Nações Unidas para tentar evitar a prisão.

No Sindicato dos Metalúrgicos, onde se encontra Lula, os apoiantes estão a juntar-se cada vez mais e até já formaram uma espécie de cordão humano para tentar impedir a detenção.