O Ministério Público Federal brasileiro vai recorrer à Justiça para aumentar a pena decretada na quarta-feira pelo juiz Sérgio Moro ao ex-Presidente Luís Inácio Lula da Silva, segundo a Agência Brasil.

Lula da Silva foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O antigo Presidente do Brasil insiste que é inocente e considera-se vítima de perseguição política. A defesa já indicou que irá recorrer da decisão, permitindo que o ex-Presidente brasileiro fique em liberdade até se conhecer a decisão do recurso.

Segundo a agência noticiosa brasileira, a acusação afirma discordar de "alguns pontos da decisão" de Moro, apesar de a sentença ter sido favorável.

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos julgamentos da operação Lava Jato na primeira instância, considera que foi dado como provado que Lula recebeu perto de um milhão de euros (3,7 milhões de reais) em subornos do grupo OAS, uma das empreiteiras do chamado clube do "bilhão", que se lucrou nos últimos anos com contratos milionários na Petrobras. 

Lula da Silva foi condenado por ter recebido vantagens ilícitas da construtora OAS num processo que investigava a propriedade de um apartamento de luxo no Guarujá, cidade do litoral de São Paulo.