O ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, afirmou esta segunda-feira que todos querem "que a Grécia continue a fazer parte do euro" e por isso a "Espanha está disponível para negociar novo resgate" do país, noticia a Reuters.

Guindos alertou, no entanto, que os problemas e as soluções da Grécia continuam a ser as mesmas que há dois dias, antes do referendo de domingo, tal como as regras. 

"Vivemos tempos complexos e nestas circunstâncias é quando se dão os saltos para a frente, no sentido de que é uma oportunidade para fortalecer a Europa e a sua moeda", afirmou o ministro.

O ministro afirmou ainda que depois do referendo de domingo "a situação é mais complexa" e é "inevitável" que Atenas faça reformas.

"A Grécia tem problemas de competitividade, problemas estruturais, não cresce, não se pagam impostos e tudo isso tem de ter solução. Se a Grécia não volta a crescer e não gera confiança, vemo-nos presos numa situação impossível", acrescentou Guindos.

Por sua vez, Hans Jörg Schelling, ministro das Finanças da Áustria, afirmou que não há muito espaço para mudanças na Grécia na reunião do Eurogrupo desta terça-feira.

Já o porta voz de David Cameron, primeiro-ministro do Reino Unido, afirmou que encontrar uma solução sustentável está nos interesses do país e que apoiam os 28 membros do União Europeia.