Dois pilotos de uma companhia aérea indiana envolveram-se em confrontos durante um voo que fazia a ligação entre Londres e Mumbai, no dia de ano novo. Um dos pilotos terá esbofeteado a sua colega, co-piloto, e os dois terão abandonado a cabine momentaneamente, deixando o voo em piloto automático. 

Segundo a imprensa local, o comandante deu um estalo à co-piloto que o acompanhava, que após ser agredida, abandonou o cockpit em lágrimas. Como esta não regressou ao seu posto, minutos mais tarde, foi o próprio piloto que largou os comandos e abandonou a cabine, e foi ao encontro da sua colega, na tentativa de a convencer a voltar. Durante essa ausência, o avião foi deixado em piloto automático.

Assim que se aperceberam, os restantes membros da tripulação foram falar com os pilotos, que acabaram por regressar aos seus postos, minutos mais tarde.

Apesar do incidente, a segurança dos 324 passageiros que iam a bordo não ficou comprometida e o avião aterrou em segurança no aeroporto internacional de Bombaím, conforme era suposto, nove horas depois. 

No entanto, a Direção Geral da Aviação Civil da Índia, que está agora a investigar o caso, decidiu suspender a licença de ambos como medida punitiva.

Na Jet Airways, a segurança dos convidados e tripulantes é de extrema importância e a companhia aérea tem tolerância zero para qualquer ação dos seus funcionários que comprometa a segurança", afirmou um dos responsáveis da Jet Airways, segundo avança o The Guardian.