Um casal de adolescentes morreu ao cair de uma varanda, onde estavam a namorar. Miguel Ramos e Anastasia Tutik estavam «fortemente intoxicados» com álcool e faleceram abraçados, depois de terem perdido o equilíbrio e caído de uma altura de 18 metros, num bloco de apartamentos no sudeste de Londres.
 
O médico legista, Andrew Harris, definiu as mortes dos estudantes da Bellerbys College, uma escola internacional em Londres, como um «trágico acidente». Andrew disse aos familiares que poderiam encontrar conforto no fato de os jovens estarem a «tirar partido um do outro» quando morreram.
 
Os amigos disseram ao jornal «The Telegraph» que o casal, que tinha acabado de se conhecer na festa, foi encontrado numa poça de sangue, com Miguel estendido de costas no chão e Anastasia ao lado, a uma curta distância.
 
Testemunhas disseram ao tribunal de «Southwark» que, momentos antes de caírem, Anastasia estava empoleirada no parapeito com os braços no pescoço de Miguel, que por sua vez estava entre as pernas da rapariga enquanto se beijavam.
 
Samson Oguntayo e Blessing Adedoyia, do prédio da frente, viram a rapariga a perder o equilíbrio e a cair para trás, arrastando o rapaz com ela, caindo num jardim, onde foram encontrados mortos. Adedoyia disse que momentos antes tinha visto o casal assim, naquela posição perigosa, mas que depois tinham voltado para dentro de casa.
 

«O que eles estavam a fazer era obviamente perigoso. Ele parecia bêbado na forma como se estava a mover e a tocar-lhe, esfregando as pernas de forma descoordenada. Eu teria chamado a polícia, mas eles voltaram para dentro. Pensei que os amigos tinham aparecido e dito que o que eles estavam a fazer era perigoso», disse Adedoyia.

 
A vizinha contou que minutos depois voltou a olhar para a janela e reparou que o casal tinha voltado. O marido disse-lhe que parecia que eles iam cair e foi precisamente o que aconteceu.
 

«Aconteceu tudo tão rápido que não sabia o que fazer. Ela caiu de costas, ele caiu de frente. O Samson gritou ‘Oh meu Deus’ e foi a correr ter com eles enquanto eu ligava para as emergências», relatou Adedoyia. «O casal estava bêbedo, eles não saltaram», acrescentou a vizinha da frente.

 
A autópsia revelou que ambos tinham níveis elevados de álcool no sangue e que morreram devido a «múltiplas lesões».
 
«Eles estavam agarrados um ao outro, desequilibraram-se e caíram. Anastasia perdeu o equilíbrio e arrastou Miguel. Ambos estavam sob efeito do álcool. Quando se está bêbado e se perde o equilíbrio é mais difícil resistir e está-se mais propenso a cair», explicou Charmaine Laurenin, a detetive que investigou as mortes.
 
O juiz deu o veredicto de morte acidental influenciada pelo álcool, afirmando que o casal estava numa posição «obviamente perigosa» quando caiu, mas que o álcool impediu-os de se aperceberem do perigo em que estavam.
 

«Ambos os julgamentos foram prejudicados pelo álcool que tinham bebido e não estavam em posição de tomar evitar o que aconteceu. Eles estavam muito felizes. Não saltaram, nem se empurraram. Este foi um acidente causado pelo álcool», afirmou o juíz.