Liu Tienan, ex-diretor da agência de planeamento chinesa, foi condenado a prisão perpétua por ter recebido cerca de 4,5 milhões de euros em subornos. O escândalo foi revelado por uma ex-amante, avança a AFP.

O diretor adjunto da Comissão Nacional para a Reforma e o Desenvolvimento, responsável por aprovar todos os grandes projetos industriais na China, foi declarado culpado pelo tribunal de Langfang, na província setentrional de Hebei.

Com um cargo equivalente a vice-ministro no governo do presidente Xi Jinping, que iniciou uma operação de combate à corrupção, Liu era acusado de atribuir projetos públicos de forma fraudulenta e recebeu o equivalente a 4,5 milhões de euros e ainda dinheiro ou presentes, como uma casa em Pequim ou um carro de luxo.