A Noruega é o melhor sítio para viver no mundo, segundo ao índice dos países mais prósperos do Instituto britânico Legatum. Portugal alcançou a 27ª posição e, sem surpresas, no final da tabela estão nações do continente africano e do médio oriente.

A Noruega ficou em primeiro lugar, pela sétima vez consecutiva na lista que classifica 142 países, tendo em conta 89 variáveis, entre elas o desempenho económico, empreendedorismo, oportunidades, sistema de saúde, segurança e liberdade.

O país teve as pontuações mais altas nas categorias “confiança nos outros”, “liberdade de escolha”, “liberdade civil” e “satisfação com o nível de vida”.

Portugal figura entre os 30 primeiros países, apesar da crise económica. De acordo com a lista, o nosso país está na 16ª posição na categoria "liberdades individuais" e é o sistema de saúde português está no 18º lugar.

Portugal manteve-se na posição que ocupava o ano passado, mas continua abaixo da melhor classificação que já alcançou, o 25º lugar, em 2009 e 2011.


Alguns países da Escandinávia ficaram também bem classificados, como a Dinamarca, que encerrou o pódio, e a Suécia, que ficou em quinto. A Finlândia chegou à nona posição e a Islândia atingiu a 12ª.

A lista destacou ainda alguns países como a Suíça, cujo nível de vida a elevou à segunda posição, e a Nova Zelândia, na quarta.

A CNN destaca ainda o caso da China que, apesar de ter uma economia forte, a falta de liberdade no país, coloca a nação no 52º lugar.
 

“É claro que a riqueza é importante, mas não conta a história toda”, afirmou Nathan Gamester, da equipa responsável pelo índice.


Contudo, os países que ficaram nas últimas posições do ranking não são, na sua maioria, apenas pobres, mas também pouco seguros. Grande parte destas nações situa-se no Médio Oriente ou no continente africano.

Verifique aqui a lista das nações mais prósperas:

 
1. Noruega
2. Suíça
3. Dinamarca
4. Nova Zelândia
5. Suécia
6. Canadá
7. Austrália
8. Holanda
9. Finlândia
10. Irlanda
 

Veja aqui a lista dos países menos prósperos:

 
133. Angola
134. Sudão
135. Iémen
136. Síria
137. República Democrática do Congo
138. Burundi
139. Chade
140. Haiti
141. Afeganistão
142. República Centro-Africana