São ambas loiras e de olhos claros, mas as semelhanças entre Swift e Merkel ficam-se por aqui. Ou talvez não. Ambas são consideradas duas das mulheres mais poderosas do mundo segundo a “Lista das Mulheres Mais Poderosas da Forbes”.

 A cantora americana de 25 anos entra pela primeira vez na lista, na posição 64, já que, muito graças ao seu álbum de 2014, teve ganhos na ordem dos 58 milhões de euros, tal como 58 milhões de seguidores no Twitter. Não é por acaso que fez um seguro milionário das suas pernas, acrescenta o Telegraph.   

Taylor Swift junta-se a outras 18 estreantes na lista das 100 mulheres mais poderosas do mundo, ao lado de veteranas como Angela Merkel, que ocupa o primeiro lugar do pódio pela quinta vez ou a mulher de Bill Gates, com a medalha de bronze.

As “ex” e atuais primeiras damas dos Estados Unidos também têm lugar. Hillary Clinton que anunciou há pouco a sua candidatura à presidência dos Estados Unidos, subiu para segundo lugar e a popular Michelle Obama ocupa o 10º.

Em comum são todas mulheres, mas vêm das mais variadas áreas: a diretora do FMI, Christine Lagarde é sexta e a “presidenta” do Brasil sétima.

A apresentadora Oprah Winfrey é 12ª, ultrapassando Ellen DeGeneres que está num modesto 60º lugar. A espanhola Ana Patricia Botín, que herdou a presidência do banco Santander após a morte do pai, fica em 18ª lugar.  Beyoncé é a número 21 e Shakyra a 81ª da lista que conta com ativistas, filantropas, políticas, mulheres da alta finança ou atrizes. Angelina Jolie e Sofia Vergara ocupam os lugares 54 e 57 respetivamente.

Se Taylor Swift é a mais jovem, a Rainha de Inglaterra é a mais velha. Do alto dos seus 88 anos, está desde sempre nesta lista e ocupa este ano a posição 41.

Se há 19 “poderosas” que entraram ( pode conhecer aqui as 100 mulheres mais poderosas), outras há que “perderam poder” este ano. A cantora Lady Gaga não figura nas 100 mais, tal como Gisele Bunchen, que abandonou a lista e as passerelles este ano.