O primeiro-ministro britânico pagou para aumentar o número de amigos no Facebook. Há apenas um mês, na rede social, David Cameron estava atrás do vice-primeiro-ministro, o líder do Partido Liberal Democrata Nick Clegg, que tinha mais 20 mil «likes» (gostos) do que o chefe do Governo.

De acordo com o «Daily Mail», graças ao investimento, aparentemente patrocinado com dinheiro do Partido Conservador, David Cameron conseguiu ultrapassar os 82 mil «likes» de Nick Clegg e somar 129 mil amigos.

O Facebook não fornece dados sobre os gastos do primeiro-ministro britânico em publicidade na rede social, mas calcula-se que a verba seja de 7.500 libras (9 mil euros), tendo em conta que cada novo «amigo» custa em média 50 pence (0,60 euros).

«Parece que David Cameron tem comprado a própria popularidade», afirma a deputada trabalhista Sheila Gilmore. «Isto é ele a alimentar o próprio ego: pagar por falsos amigos no Facebook», acrescenta.

«David Cameron gasta mais a comprar amigos nas redes sociais do que eu ganho num mês», refere o advogado Tory Patton no Twitter, onde no fim-de-semana proliferaram as críticas ao primeiro-ministro.

Críticas ao chefe do Executivo britânico a somar à recente «selfie» de David Cameron a falar ao telefone com Barack Obama sobre a crise na Ucrânia. Postada em simultâneo no Twitter e no Facebook, a foto tornou-se alvo de piada nas redes sociais.