Figuras de destaque assinaram uma petição na Internet exigindo aos líderes africanos e à comunidade internacional que impeçam um «embargo total» aos países afetados pelo vírus Ébola, sublinhando que é impossível «pôr nações inteiras de quarentena».

Vacina contra o ébola testada em humanos já esta semana

Reconhecendo que as preocupações por trás das restrições que, por exemplo, impedem as viagens para os países mais afetados pela epidemia, são «legítimas» e destinadas a proteger as populações, os signatários recordam aos líderes africanos que têm uma «dever de solidariedade» para com os vizinhos do continente e à comunidade internacional que tem «obrigações humanitárias em situações de emergência».

Os signatários do «apelo à ação urgente» publicado na página Go Petition ¿ entre os quais a política e ativista moçambicana Graça Machel, ex-chefes de Estado como Olusegun Obasanjo (Nigéria) e Benjamin Mkapa (Tanzânia), vários representantes das Nações Unidas e o músico senegalês Youssou N¿Dour ¿ urgem a ambos que garantam ¿que o fluxo da assistência essencial possa chegar aos que dela precisam¿ e, ao mesmo tempo, possibilitem que ¿a atividade económica necessária a sustentar a vida nas cidades e aldeias¿ possa continuar.