Um dos principais líderes da oposição venezuelana, Leopoldo Lopez, pediu aos militares que rejeitem o projeto da Assembleia Constituinte do Presidente Nicolás Maduro.

Convido-vos a não serem cúmplices da destruição da República, de uma fraude constitucional, da repressão”, afirmou Lopez, fundador do partido Vontade Popular, num vídeo divulgado no Twitter.

“Certifiquem-se que apoiam os cidadãos e a Constituição”, acrescentou opositor, que saiu da prisão a 08 de julho, após três anos e cinco meses de detenção, e que se encontra em prisão domiciliária.

Já o deputado da oposição venezuelana e vice-presidente do Parlamento, Freddy Guevara, disse na terça-feira que considera difícil que o Governo de Nicolás Maduro realize a eleição da Assembleia Nacional Constituinte, no domingo, porque “não tem controlo” do território.

Não podem sequer garantir a instalação de um processo eleitoral (…), vocês não são um Estado, não têm controlo do vosso território”, disse sobre o Governo venezuelano ao recordar que o Conselho Nacional Eleitoral estabeleceu novos centros de votação para prevenir possíveis cortes de estradas no dia da eleição.

De acordo com Guevara, os novos centros de votação vão facilitar a fraude por falta de protocolos de segurança, e vão permitir que um eleitor exerça o sufrágio em mais de uma ocasião.