Um adolescente singapuriano foi hoje processado por ter difundido na Internet um vídeo com críticas ao falecido fundador da Cidade-Estado de Singapura, Lee Kuan Yew, e ao cristianismo.

Identificado como Amos Yee, o jovem de 16 anos foi detido na segunda-feira e libertado sob fiança, no valor de 20 mil dólares de Singapura (13.268 euros).

O adolescente foi acusado de três crimes, incluindo de ações com «a intenção deliberada de ferir os sentimentos religiosos ou raciais de qualquer pessoa».

O antigo primeiro-ministro e fundador da Cidade-Estado de Singapura, Lee Kuan Yew, morreu na segunda-feira da semana passada, aos 91 anos.

Amos Yee foi também acusado de fazer circular no seu blogue um objeto obsceno - um desenho animado de Lee com a antiga primeira-ministra britânica Margaret Thatcher - e de fazer ameaças e comunicações abusivas ou insultuosas.

No vídeo de oito minutos intitulado «Lee Kuan Yew is finally dead» [Lee Kuan Yew morreu finalmente, na tradução livre] lançou um ataque mordaz ao político que foi cremado no domingo.

No vídeo, Yee, que foi detido no dia do funeral de Estado, também associou Lee Kuan Yew a Jesus, numa mensagem contra o cristianismo.

O jovem descreveu Lee Kuan Yew, que não professava qualquer religião, como uma «pessoa horrível» e desafiou o filho do antigo líder de Singapura e atual primeiro-ministro, Lee Hsien Loong, a processá-lo.

O juiz ordenou que Yee se abstenha de fazer quaisquer comentários nas redes sociais enquanto decorre o caso.

A próxima audiência está marcada para 17 de abril.