Lee Joon-seok foi condenado esta terça-feira, na sessão do julgamento de recurso, a uma pena de prisão perpétua. Os magistrados reviram a anterior sentença de 36 anos de prisão e decidiram que o capitão do ferry «Sewol» é culpado de homícidio.

Segundo a agência Lusa, o Alto Tribunal de Gwangji considerou que Lee Joon-seok não cumpriu deliberadamente as responsabilidades como capitão durante o naufrágio e portanto é o responsável pela morte de 304 pessoas.

A sentença do tribunal reforça ainda que o capitão do ferry sul-coreano se mostrou passivo durante os momentos cruciais, visto que não deu ordem de evacuação da embarcação aos passageiros quando o devia ter feito e não efetuou esforços para resgatar as vítimas.