A Policia Federal do Brasil indiciou esta sexta-feira o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro num caso da operação Lava Jato, que investiga crimes cometidos na Petrobras.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a mulher de Lula da Silva, Marisa Letícia, também foi indiciada esta sexta-feira, assim como José Adelmario Pinheiro Filho, o ex-presidente da construtora OAS, o arquiteto Paulo Gordilho e Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula.

Todos os acusados são suspeitos de crime na aquisição e na reforma de um apartamento de luxo na cidade de Guarujá, litoral do Estado de São Paulo, cuja posse terá sido ocultada pelo ex-chefe de Estado, mas que o Ministério Público acredita ser de Lula da Silva.

A propriedade fará parte de um conjunto de “vantagens ilícitas”, dadas por empresas investigadas pela Operação Lava Jato, das quais Lula da Silva será beneficiário, conforme apontam as autoridades.

"Foi possível apurar que o casal Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia Lula da Silva foi beneficiário de vantagens ilícitas, por parte da OAS, em valores que alcançam 2.430.193,61 reais (o equivalente a 667 mil euros) referentes às obras de reforma no apartamento 164-A do Edifícios Solaris, bem como no custeio de armazenamento de bem do casal", afirmou Márcio Adriano Anselmo, o delegado federal que assinou o indiciamento, de acordo com o jornal O Globo.

O ex-Presidente brasileiro já disse inúmeras vezes que o apartamento no Guarujá não lhe pertence. De acordo com Lula da Silva, ele e a mulher firmaram um contrato de prioridade de compra do imóvel, que depois não foi concretizado.

O Estado de São Paulo destaca que se trata do primeiro indiciamento formal do ex-Presidente brasileiro, no âmbito da Operação Lava Jato.

Esta etapa é anterior à denúncia criminal, que deve ser apresentada pelo Ministério Público Federal ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato em primeira instância. Uma das medidas que pode ser tomada pelo juiz é a prisão preventiva de Lula da Silva, caso o julgue necessário para a condução das investigações.