A Polícia Federal divulgou, esta quarta-feira, uma lista com cerca de 200 nomes de políticos envolvidos em alegados pagamentos ilícitos pela Odebrecht.

Os documentos, publicados pelo sito UOL, terão sido encontrados durante as buscas desta terça-feira à estrutura interna daquela que é uma das principais construtoras do Brasil. A operação marcou o arranque da 26.ª fase da Lava Jato, operação policial que investiga os casos de corrupção na Petrobras há mais de dois anos.

Cerca de 200 políticos, de 18 partidos brasileiros, surgem nas listas divulgadas esta manhã pela imprensa brasileira. Os nomes divulgados constavam em folhas de cálculo que estavam na posse de Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, apreendidas na 23.ª fase da operação Lava Jato.

Entre os nomes tornados públicos, constam membros da oposição e do governo brasileiro como, por exemplo, Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Campos (PSB), morto em 2014. Além das tabelas, há dezenas de bilhetes manuscritos, comprovantes bancários e textos impressos. Alguns dos bilhetes fazem menção a obras públicas, refere o site UOL.

Entretanto o juiz Sergio Moro pediu, segundo o jornal Folha de S. Paulo, ao Ministério Público Federal que se manifeste com urgência sobre o envio destes documentos para o Supremo Tribunal Federal, entidade agora responsável pela Operação Lava Jato depois do afastamento de Moro da investigação esta terça-feira.