A Princesa de Gales não foi a única Lady Diana Spencer no mundo. Conta a BBC, a propósito dos 20 anos da sua morte, que, no século XVIII, viveu Diana Spencer, sua antepassada.

Foi em homenagem a ela que a Lady Di do século XX foi batizada de Diana. Em comum, têm o nome e uma história de vida trágica e infeliz, com episódios semelhantes.

A outra Diana nasceu em 1710 e era a mais nova de cinco filhos de Charles e Anne Spencer, o conde e a condessa de Sunderland, em Inglaterra.

A “querida e pequena Di”, como era chamada, perdeu a mãe quando tinha seis anos. Também a Princesa Diana de Gales deixou de viver com a mãe aos sete anos, quando os pais se divorciaram.

Charles Spencer voltou a casar e teve outros três filhos, mas acabou por morrer, quando Diana tinha 12 anos. Pouco tempo depois, a menina perdeu também o avô, o duque de Marlborough.

Diana ficou sob os cuidados da avó, a duquesa Sarah Churchill, uma das mulheres mais poderosas de Inglaterra.

Com o passar dos anos, Diana Spencer tornou-se alta, bonita e encantadora e, na época, era a noiva mais cobiçada do Reino Unido. No entanto, todas as propostas de casamento que recebeu foram rejeitadas pela avó, que tinha planos mais ambiciosos.

A duquesa Sarah Churchill aproveitou o facto do filho mais velho do rei George II, Frederick, o príncipe de Gales, estar endividado e ofereceu-lhe cerca de 100 mil libras (correspondente a cerca 84 mil euros atualmente) para casar com a sua neta Diana. O príncipe aceitou.

Contudo, o governo preferia que o príncipe de Gales casasse com uma europeia. A eleita foi a princesa Augusta de Saxe-Coburgo-Gota, que tinha apenas 16 anos. Por isso, Diana Spencer acabou por não casar com o príncipe, a contrário da sua descendente.

Diana acabou por casar com o lorde John Russell e tornaram-se o duque e a duquesa de Bedford.

O primeiro filho de Diana Spencer nasceu prematuro, por causa de um acidente com uma carruagem, e morreu um dia depois de ser batizado. Na segunda gravidez, a Lady Di do século XVIII sofreu um aborto espontâneo.

Em 1735, Diana descobriu que tinha contraído tuberculose e morreu pouco tempo depois, com 25 anos.

Assim como aconteceu com a “princesa do povo”, a morte da duquesa de Bedford foi profundamente lamentada por aqueles que a conheciam. O seu caixão desfilou pelas ruas, numa carruagem, antes de ser enterrado.