Roberto Calderoli, que comparou a ministra de Integração, Kyenge, a um orangotango, pediu desculpa pelas palavras esta terça-feira. Contudo, mantém a posição contra políticas da ministra.

O Primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, considera o comentário de Calderoli inaceitável e que ultrapassa todos os limites, diz a UPI.

De acordo com o site, Calderoli telefonou na terça-feira a Kyenge para se desculpar.

O líder da Liga Norte, Roberto Maroni apreciou a atitude do senador, acrescentando ainda que os comentários de Calderoli foram alimentados pelas políticas de imigração erradas que Kyenge apresentou.

O vice-presidente do Senado italiano e membro da Liga Norte afirma, segundo a EFE, que não renunciará mesmo depois do pedido de desculpa.

A intenção de renunciar não é uma hipótese e continuará, cita a agência, a criticar políticas de «um governo que permite a entrada de imigrantes ilegais».

Numa breve declaração, Calderoli admitiu ter feito «asneira» e disse ainda que não voltará a atacar nenhum adversário político com ofensas que classificou «execráveis».