O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, falou publicamente pela primeira vez do teste nuclear levado a cabo pelo regime de Pyongyang na passada quarta-feira, qualificando-o como um ato de “autodefesa”, noticia a agência oficial KCNA.

Durante uma visita realizada a propósito por Ano Novo à agência que coordena e administra o Exército Popular, Kim Jong-un defendeu que o ensaio nuclear é “uma medida justa que ninguém deve criticar”, segundo o texto publicado pela KCNA.
 

“É uma medida de autodefesa para proteger de forma fiável a paz na península coreana e a segurança regional do perigo de uma guerra nuclear provocada pelo grupo de imperialistas que os Estados Unidos lidera”, disse, durante a visita, cuja data exata não foi adiantada.


A Coreia do Norte afirmou  ter realizado, com sucesso, o seu primeiro teste nuclear de hidrogénio no dia 6 de janeiro, dando um significativo passo no desenvolvimento do seu programa nuclear. 

“O primeiro teste de bomba de hidrogénio da República foi realizado com sucesso às 10:00 [01:30 em Lisboa] do dia 06 de janeiro, 2016, assente na determinação estratégica do Partido dos Trabalhadores”, anunciou a televisão estatal norte-coreana. 

Vários centros de atividade sísmica detetaram esta terça-feira um abalo na Coreia do Norte, levantando-se, de imediato, a possibilidade de ter sido causado por um teste nuclear. O abalo registado dentro da Coreia do Norte deveu-se a uma “possível explosão”, apontando para uma magnitude de 4,9, a zero quilómetros de profundidade. 

Entretanto, um bombardeiro norte-americano sobrevoou a Coreia do Sul, numa demonstração de força do exército dos Estados, aliados de Seul, após o teste nuclear de Pyongyang.