A polícia da Malásia já deteve três pessoas por suspeitas de estarem ligadas à morte de Kim Jong-nam, meio-irmão do líder da Coreia do Norte. Depois de na quarta-feira terem anunciado a detenção de uma mulher com passaporte vietnamita, esta quinta-feira a polícia deteve mais duas pessoas: outra mulher e um homem que a polícia acredita ser o seu namorado.

O inspetor-geral da polícia malaia, Khalid Abu Bakar, revelou, em comunicado, que as autoridades detiveram uma mulher que foi identificada como Siti Aishah.

A mulher tinha na sua posse um passaporte que indica que é da Indonésia e que tem 25 anos, mas não é claro se este é um documento verdadeiro. 

Ainda de acordo com o mesmo comunicado, as autoridades identificaram a suspeita através de imagens das câmaras de segurança do aeroporto internacional de Kuala Lumpur. 

A mulher estava sozinha quando foi detida pela polícia, nesta quinta-feira. 

Quanto à terceira pessoa detida, trata-se do namorado da segunda suspeita detida.

"Ele foi detido para facilitar a investigação uma vez que ele é namorado da segunda suspeita", explicou o chefe da polícia Abu Samah Mat, em declarações à Reuters.

Estas novas informações surgem depois de a polícia malaia ter anunciado que deteve, na quarta-feira, uma primeira mulher suspeita de envolvimento no caso. Esta suspeita tinha na sua posse um passaporte vietnamita, no qual constava o nome Doan Thi Huong e a data de nascimento de 31 de maio de 1988.

Kim Jong-nam terá sido assassinado no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, alegadamente por duas agentes norte-coreanas, enquanto esperava por um voo para Macau.

O irmão do líder norte-coreano era contra o regime em vigor na Coreia do Norte e disse, por diversas vezes, que não tinha interesse em governar o país. Ainda assim, seria visto por Kim Jong-un como uma ameaça, por ser o filho mais velho de Kim Jong-il, o antigo líder do país.