O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, mencionou pela primeira vez que o país possui a bomba de hidrogénio, informa a agência noticiosa oficial KCNA, mas especialistas duvidam da capacidade de Pyongyang para desenvolver esta arma.

Kim Jong-un afirmou que a Coreia do Norte “se converteu num poderoso estado possuidor de armas nucleares capazes de detonar de forma autossuficiente uma bomba atómica e também uma bomba H para defender eficazmente a soberania e dignidade da nação”, refere um despacho da KCNA, citado pelas agências internacionais.

O líder norte-coreano proferiu, alegadamente, estas palavras durante uma visita ao Sítio Revolucionário de Phyongchon, na capital, Pyongyang, um enclave histórico da indústria de armamento do país por ter albergado a primeira fábrica de munições há seis décadas.


Tio revela por que fugiu

O tio do líder norte-coreano Kim Jong-Un descreveu como o medo de políticas do poder mortais em Pyongyang o levaram, com a sua mulher, a desertar para os Estados Unidos, há quase duas décadas.

Numa entrevista ao telefone concedida à agência sul-coreana Yonhap que a Lusa cita, Ri Kang afirmou que o casal estava profundamente preocupado relativamente àquilo que lhes podia acontecer numa qualquer luta pelo poder na sequência da eventual morte do pai de Kim, Kim Jong-Il.

Ri é casado com Ko Yong-Suk, a irmã mais nova da mãe de Kim Jong-Un.