A Coreia do Norte anunciou esta terça-feira que começou novamente a operar o reator nuclear de Yongbyon, considerado a principal fonte de plutónio do regime de Kim Jong-un para abastecer o seu programa de desenvolvimento de armas nucleares.

“Todas as instalações nucleares em Yongbyon, incluindo a central de enriquecimento de urânio e o reator moderado a grafite de cinco megawatts, foram reorganizadas, alteradas ou reajustadas e já começaram a operar com normalidade”, anunciou o diretor do Instituto de Energia Atómica norte-coreano, num comunicado transmitido hoje pela agência estatal KCNA.

O país liderado por Kim Jong-un avisa que está preparado para usar armas nucleares contra os EUA, ou qualquer outro país “hostil”.

Especialistas acreditam que o reator nuclear de Yongbyon consegue produzir 6 quilos de plutónio por ano, o suficiente para produzir uma bomba.

Como conta o britânico “The Guardian”, a ameaça chega um dia depois da Coreia do Norte ter ameaçado lançar satélites, alegadamente pacíficos, que especialistas norte-americanos acreditam ser uma desculpa para testar mísseis de longo alcance, que se combinados com as armas nucleares podem significar uma ameaça séria.