Um especialista químico da Malásia afirmou hoje em tribunal que a quantidade do agente neurotóxico VX detetado no rosto do meio-irmão do líder norte-coreano, assassinado em fevereiro, superava em 1,4 vezes a dose letal.

O agente neurotóxico VX puro foi detetado no corpo, olho e plasma de Kim Jong-nam, declarou o especialista químico do governo malaio Raja Subramaniam, na audiência do julgamento das duas mulheres acusadas do seu homicídio.

O potencial letal do VX, que também foi encontrado nas roupas que a indonésia Siti Aisyah e a vietnamita Doan Thi Huong vestiam no dia do ataque, foi descrito em tribunal por Raja Subramaniam, que, questionado sobre se a concentração detetada no rosto da vítima seria suficiente para a matar, afirmou que a concentração era "cerca de 1,4 vezes superior à dose letal".

Ainda esta semana o Ministério Público vai apresentar imagens de videovigilância do aeroporto de Kuala Lumpur que mostram as duas mulheres a levar a cabo o ataque.

Já a defesa alega que as duas mulheres foram enganadas por presumíveis agentes norte-coreanos, ao serem levadas a acreditar que estavam a pregar uma partida inofensiva para um programa de apanhados.

Kim Jong-nam, meio-irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, foi assassinado a 13 de fevereiro no aeroporto internacional de Kuala Lumpur, supostamente pelas duas mulheres que lançaram o agente químico nervoso VX contra o seu rosto, provocando a sua morte minutos depois.