Kim Jong-Il, o líder comunista norte-coreano, foi eleito por unanimidade, no domingo, para a nova Assembleia Popular Suprema do Parlamento da Coreia do Norte.

Este resultado não apresenta grande surpresa, tendo em conta conta que o «querido líder» concentra já todos os poderes do país.

Outro dado a acrescentar é o facto de todos os candidatos concorrentes terem sido escolhidos pelo Governo ou pelo partido único dos trabalhadores, noticia a AFP.

No entanto o Instituto Estratégico para a Segurança Nacional, com sede em Seul, acredita que estas eleições podem ser o sinal de uma viragem no sentido do início de uma política que põe fim à hegemonia militar e abre as portas a uma geração de tecnocratas e economistas.

O líder daquele que é considerado o regime mais isolado do mundo foi eleito pela circunscrição militar nº 333, número da sorte na Coreia, com uma taxa de afluência às urnas de 100%.