O Tribunal de Recurso da Nova Zelândia declarou legal a busca policial realizada em janeiro de 2012 na casa do informático alemão Kim Dotcom, cuja extradição é pedida pelos Estados Unidos, por alegados crimes de pirataria informática.

A decisão divulgada hoje sugere que as «deficiências» detetadas nos mandados de busca não eram significativas ao ponto de tornar «inválidos», pelo que «não houve erro na aplicação da justiça».

Não obstante, o tribunal considerou que a cópia da informação eletrónica obtida durante a busca e posteriormente transferida para as autoridades norte-americanas não tinha sido autorizada, segundo a estação de televisão «TV3».