Navi Pillay, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, apelou esta quarta-feira «à contenção» de todas as partes envolvidas nos confrontos na Ucrânia. Esta responsável pediu, ainda, que seja feita uma investigação por suspeitas de «uso excessivo de força», escreve a Reuters.

«Reitero o meu apelo pelo direito a manifestações pacíficas, de acordo com a lei internacional dos direitos humanos. Esse direito deve ser respeitado», afirmou numa declaração breve aos jornalistas.

Navi Pillay apelo ainda «à contenção» das partes envolvidas e pediu «uma investigação independente e urgente, para apurar factos e responsabilidades, incluindo o apuramento da possibilidade de se ter recorrido ao uso excessivo de força», durante as manifestações em Kiev.

Depois de três semanas de relativa acalmia, protestos voltaram às ruas com toda a violência. Desde terça-feira já morreram 25 pessoas. Há registo centenas de feridos.

O Presidente da Ucrânia, Viktor Ianukovich, falou ao país e culpou os líderes da oposição pela violência. A oposição «ultrapassou os limites» na tentativa de chegar ao poder através das ruas e os seus autores serão julgados, disse.

Já o líder da oposição Vitali Klitschko que se reuniu esta noite com Viktor Ianukovich, insistiu na retirada da polícia das ruas para que os ânimos possam acalmar.

Vários países europeus, os Estados Unidos e a Rússia vieram apelar ao fim da violência e ao regresso das conversações.