As autoridades líbias consideraram uma ofensiva liderada por um general na reserva em Benghazi como uma tentativa de golpe de Estado, num comunicado conjunto do governo, parlamento e militares.

Uma força paramilitar liderada por Khalifa Haftar bombardeou na sexta-feira posições de grupos considerados pelo general como «terroristas».

O ataque liderado por Khalifa Haftar é, segundo Tripoli, «um ato fora da legitimidade do Estado e um golpe de Estado», de acordo com o comunicado lido na televisão pelo presidente do parlamento, Nouri Abu Sahmein, neste sábado.