Keith Martin tornou-se conhecido quando atingiu 445 quilos de peso, tornando-se no homem mais pesado do mundo. Morreu em março de 2014, mas a notícia só agora foi divulgada na imprensa britânica. O londrino de 44 anos faleceu devido a uma pneumonia e depois de uma longa batalha contra a obesidade. Estava a pesar 248 quilos, graças a uma intervenção cirúrgica e a uma rigorosa dieta que limitava a ingestão de calorias a 1500 por dia.
 
De acordo com o «The Telegraph», Keith Martin morreu oito meses depois de ter feito uma operação para colocar uma banda gástrica, que lhe diminuiu 3/4 do estômago. Na pior fase, Keith Martin ingeria cerca de 20 mil calorias por dia: 10 vezes mais do que a dose recomendada.

O britânico sempre relacionou a origem do problema de peso a depressão e ansiedade que terão começado aos 16 anos, aquando da morte da mãe. Desde então, Keith Martin baseou a alimentação em fast food. A saber, bolachas, doces, sandes, batatas fritas, hambúrgueres, pizas e refrigerantes.

O caso de Keith Martin levou o cirurgião que o operou a propor ao Governo britânico um imposto que aumentasse o preço da «comida de plástico» e um maior acesso da população com problemas de obesidade à cirurgia de redução do estômago.

«Caso contrário, vamos continuar a ver mais e mais pessoas como Keith», disse o médico.
«Apesar do alto risco, fez uma cirurgia bem-sucedida. Lamento que Keith tenha morrido de uma pneumonia», acrescentou.


Também citadas pelo «The Telegraph», Sharon e Tina, as duas irmãs de Keith Martin, que sempre cuidaram dele, disseram que ainda estão de luto. «Temos muitas saudades dele», afirmam. 

Keith Martin tinha decidido fazer a cirurgia por «já ter perdido muitos anos de vida e não querer perder mais».