Quando é que nasce? É uma menina? É outro menino? Perguntas que os britânicos fazem e que valem apostas mais ou menos sérias. O parto do segundo filho de Kate Middleton está previsto para 25 de abril, segundo a «Vanity Fair», e aqueles que apostaram que o bebé nascia a 19, já perderam.



Mas, ainda há muito para saber e apostar. O sexo da criança é uma das maiores curiosidades e dos maiores mistérios, já que os duques não quiseram, tal como no primeiro filho, saber o sexo da criança.

E, depois, há o nome! Se for menina, Diana como a avó morta num acidente de viação em Paris em 1997, Isabel como a avó e rainha de Inglaterra?

E, desta vez, ainda pode perguntar se é parecido ou não com o irmão. O pai também só «decide no dia» se vai assistir ao parto. 

As hipóteses e as perguntas sucedem-se. Mas, há coisas que já se sabem: o bebé vai nascer no mesmo hospital do que o irmão e o parto será conduzido pelo mesmo médico obstetra.

Do aparato de câmaras de televisão e máquinas fotográficas, o casal William e Kate não poderão fugir, mas, a exemplo do que tem acontecido com o príncipe George, que, com quase dois anos de vida, as aparições públicas têm sido escassas, o segundo filho também deve levar uma vida bastante reservada.



A agência AFP falou com vários diretores de revistas cor-de-rosa, que lamentam esta posição «fechada» do casal real. Entendem que William ainda «culpa» a imprensa pela morte da mãe e acrescentam que os «leitores não querem que vamos longe», só querem ver, como diz Simon Perry, da revista «People».



Mais, a mãe até já disse que desta vez ficará afastada dos eventos oficiais por um período mais longo, gozando muito mais os primeiros tempos de maternidade, tal como o pai William não deve abdicar da licença de paternidade.

Uma coisa é certa, o nascimento real vai ser notícia em todo o mundo e chegar a todo o lado, como à Austrália, onde o tio Harry deve estar no momento que a cunhada der à luz.