O Ministério da Justiça iraquiano anunciou esta segunda-feira a execução de cinco condenados à morte, relacionando esta decisão com o ataque bombista suicida de Bagdad no domingo que matou mais de 200 pessoas.

Anunciamos a aplicação da pena de morte esta manhã contra cinco prisioneiros”, referiu o ministério em comunicado, sem especificar os crimes que deram origem á decisão.

No comunicado, o ministério afirma pretender que as famílias enlutadas “saibam que os seus irmãos no Ministério da Justiça continuam a aplicar a punição justa àqueles cujas mãos estão cheias com o sangue dos iraquianos”.

No domingo explodiu um carro-armadilhado na rua de Karrada, na capital do Iraque, Bagdad. Mais de 200 pessoas morreram, outras 200 ficaram feridas, entre elas muitas crianças e mulheres que conseguiram sobreviver ao impacto directo das explosões mas não resistiram à força das chamas. 

O autoproclamado Estado Islâmico reivindicou o atentado, através de um comunicado divulgado nas suas plataformas online. A organização terrorista, de extremistas sunitas, alertava que os ataques "dosmujahedin [combatentes] contra os Rafidha [xiitas] não vão parar."