As vendas de «O Capital», a obra maior de Karl Marx, estão «claramente a aumentar», disse esta quarta-feira Jörn Schütrumpf, da editora Karl-Dietz-Verlag, citado pela AFP.

«Marx está de novo na moda e a procura das suas obras em alta», explicou. Segundo a editora de Berlim, o primeiro volume de «O Capital» já vendeu este ano 1500 exemplares, contra 500 em 2005, e as vendas vão continuar a aumentar até ao fim do ano.

Os leitores pertencem a «uma nova geração de eruditos que reconheceu que as promessas neo-liberais não se realizaram», sublinhou.

O próprio ministro alemão das Finanças, Peer Steinbrück, fez uma referência a Marx em finais de Setembro, no contexto da crise financeira. «Certas partes da teoria de Marx não assim tão falsas», como a que refere a autodestruição do capitalismo por causa da sua avidez, disse então à revista Der Spiegel.

Karl Marx, nascido em 1818 na Alemanha, foi um dos mais célebres críticos do capitalismo e a sua visão da História previa a sua dissolução, dando origem a um diferente modo de produção. O primeiro livro desta extensa oba data de 1867.