Um movimento contra a discriminação das mulheres obesas anunciou hoje ter apresentado queixa contra o estilista Karl Lagerfeld, por este ter dito na televisão que «ninguém quer ver gordas nas passarelas», segundo a imprensa francesa.

O movimento denunciou ainda o estilista alemão por acusar os obesos de aumentarem o défice da segurança social.

A presidente do movimento «Bonita, gorda, sexy e aceito-me», Betty Aubrière, e o Comité Miss Ronde denunciaram o estilista da casa Channel por «declarações difamatórias e discriminatórias contra a comunidade de mulheres gordas».

Em causa estão as declarações do estilista, proferidas numa emissão televisiva da cadeia D8, durante a qual Lagarfeld disse que as gordas não encaixam nos desfiles de moda, acusando os obesos de «falta de disciplina» e de provocarem um buraco na segurança social por causa de todas as doenças de que sofrem.

Uma das apresentadoras do programa Le Grand 8 criticava o estilista por, no seu livro «O mundo segundo Karl», ter sido tão duro com as pessoas obesas, sustentando que não se escolhe ser gordo ou magro.

«É verdade, não se escolhe. Mas um pouco de disciplina alimentar aliviaria a segurança social», respondeu entre risadas o estilista.

É um tipo de declarações que seriam consideradas «inaceitáveis se fossem ditas sobre os homossexuais, por exemplo», declarou Aubrière.

«Pode ser terrível para as adolescentes que o escutam. São frágeis e esses programas têm muita audiência», acrescentou a presidente da associação, que considera que as palavras de Lagarfeld são «maldosas e falsas».

Antes de denunciar o estilista ao procurador-geral da República francês, o movimento enviou a Lagarfeld uma queixa com 500 assinaturas.