Uma juíza ordenou hoje a prisão para três dos cinco detidos suspeitos de alegados subornos em troca de contratos municipais no Ayuntamiento de Sevilha, informou a agência Efe.

A juíza Mercedes Alaya decretou a prisão sem caução para Francisco Amores, ex-chefe do serviço de Parques e Jardins do Ayuntamiento de Sevilha, e para José Antonio González Baró, filho do dono da empresa Fitonovo, Rafael Gonzalez Palomo, que já está imputado desde julho passado.

Já para Francisco Luis Huertas, responsável de conservação do parque María Luisa de Sevilha, foi decretada prisão sob caução de 150.000 euros, montante que o acusado declarou não deter.