O líder das FARC, Rodrigo Londono, felicitou o Presidente da Colômbia por ter sido distinguido, nesta sexta-feira, com o prémio Nobel da Paz, atribuído pelo esforço em solucionar um conflito armado com 52 anos.

"Felicito o Presidente Juan Manuel Santos", escreveu Rodrigo Londono na rede social Twitter.

Antes da entrega do prémio circulou a informação de que o Nobel da Paz poderia ser dividido entre os dois homens que assinaram o histórico acordo de paz.

Rodrigo Londono, mais conhecido pelo seu nome de combate Timochenko, também felicitou a Noruega, Cuba, Venezuela e o Chile, países fundamentais na resolução do conflito e "sem os quais seria impossível a paz".

Esta distinção surge depois de conhecidos os resultados do referendo na Colômbia ao acordo de paz com as FARC, com a maioria a rejeitar o histórico acordo conseguido por Juan Manuel Santos.

O Governo colombiano e as FARC selaram um acordo de paz, no final de setembro, para pôr fim ao ciclo de violência que custou ao país mais de 220 mil vidas no último meio século e deixou quase sete milhões de deslocados internos e 45 mil desaparecidos. Mas, no passado domingo, os colombianos foram às urnas para votar uma rejeição desse acordo.

O acordo de 297 páginas, que foi elaborado durante quatro anos em Havana, Cuba, aconteceu após três tentativas fracassadas durante os governos de Belisario Betancur, César Gaviria e de Andrés Pastrana.

A vitória do “Não” no plebiscito de domingo foi considerado um duro golpe para o Governo de Juan Manuel Santos e colocou em dúvida o processo para superar o conflito, mas as FARC fizeram saber que vão manter o cessar-fogo definitivo acordado com o Governo, mesmo depois de os colombianos terem expressado estarem contra.