A agência oficial chinesa Xinhua noticiou hoje sem comentários a decisão judicial de manter o ex-primeiro-ministro português José Sócrates em prisão preventiva e assinala que o caso «é visto como um desastre político» para o Partido Socialista.

«Um juiz português decidiu na segunda-feira que o antigo primeiro-ministro José Sócrates continuará em prisão preventiva. O juiz Carlos Alexandre tomou a decisão depois de dois dias de interrogatório por alegada corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal», diz a Xinhua num despacho de 19 linhas, difundido cerca das 11:00 (03:00 em Lisboa), no serviço em inglês da agência.

Segundo relata a Xinhua, «a detenção de Sócrates é vista como um desastre político para o Partido Socialista, que está a lutar para regressar ao poder no próximo ano».


No mesmo despacho, a agência chinesa refere que o antigo líder do PS «governou Portugal entre 2005 e 2011 e ajudou a negociar o resgate de 78.000 milhões de euros» acordado há três anos e meio com a Comissão Europeia, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu.

José Sócrates visitou oficialmente a China duas vezes em 2007, na qualidade de primeiro-ministro e de presidente do Conselho Europeu, e deslocou-se a Macau em 2010 para participar numa reunião do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial China-Países de Língua Portuguesa.