A primeira intenção do vídeo, divulgado na segunda-feira na Internet, “é contribuir para chamar a atenção, dentro e fora do país (Angola), para a situação destes jovens” que foram presos, mas que ainda “não foram apresentadas provas que sustentem a acusação”, frisou.





“Liberdade Já”