A repórter de imagem húngara que foi filmada a rasteirar um refugiado com o filho ao colo, na fronteira entre a Hungria e a Sérvia, vai processar a rede social Facebook e o refugiado sírio que fez cair.

Em declarações ao jornal russo Izvestia, Petra Lazlo revelou que vai processar judicialmente o Facebook por este não ter eliminado grupos criados na rede social que a ameaçavam e por ter apagado outros que lhe davam apoio, escreve o Mashable.

A repórter afirmou ainda que vai processar Osama Abdul Mohsen, o refugiado que fez tropeçar.

Ele alterou o testemunho, porque inicialmente culpou a polícia. O meu marido quer provar a minha inocência. Para ele, o que está agora em causa é a minha honra.”


Na altura, outro jornalista que estava por perto filmou Petra a pregar intencionalmente uma rasteira a Osama, enquanto este corria com seu filho pequeno ao colo. Outro vídeo mostra ainda a repórter a pontapear duas outras pessoas, incluindo uma criança.
 
Na entrevista ao Izvestia, a húngara afirmou ainda que quer emigrar com a família para a Rússia, por se sentir ameaçada no seu país, mas que só vai tomar uma decisão quando o julgamento contra si terminar.

Por causa da polémica, Petra László foi despedida da estação de televisão húngara N1TV. Vai responder em tribunal no próximo mês de dezembro, pelas agressões do dia 8 de setembro.