O Vaticano veio esta quarta-feira afirmar que a agenda do Papa Francisco no Rio de Janeiro a propósito das Jornadas da Juventude não vai sofrer alterações apesar da contestação social que se tem vivido nas últimas semanas no Brasil. Prova disso é que o Papa vai deslocar-se num carro aberto, como tem acontecido na Praça São Pedro.

Francisca abdica de um carro blindado porque as manifestações, a acontecerem, «não serão contra o Papa e a igreja», acrescenta Federico Lombardi, citado na «Folha».

Os protestos são considerados como a principal ameaça à visita, segundo a própria Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), que com o Exército e a Polícia Federal farão a prevenção e a segurança dos eventos em que o Papa participará.

O porta-voz do Vaticano confirmou ainda o encontro de Francisco com a presidente brasileira Dilma Rousseff e esclareceu que grande parte da verba gasta com as Jornadas se destina a trabalhadores.

Na segunda-feira, o Papa Francisco chega ao Brasil, na sua primeira viagem internacional, e permanecerá no país até ao dia 29 de julho.

O Vaticano também explicou que a decisão do Papa de ir ao Santuário de Aparecida, em São Paulo, foi dele, pois é um devoto de Nossa Senhora Aparecida.

«O Papa irá pedir proteção para o seu pontificado, que está a começar», acrescenta a Lusa.