O histórico dirigente catalão Jordi Pujol foi acusado de fraude fiscal e lavagem de dinheiro, segundo uma decisão judicial divulgada esta terça-feira, quando a Catalunha está a viver uma conjuntura de afirmação nacionalista face a Madrid.

Pujol foi convocado para prestar declarações à juíza de instrução Beatriz Balfagon, em Barcelona, no dia 27 de janeiro, a par da sua esposa Marta Ferrusola e de três dos seus filhos, segundo a decisão da magistrada, datada de 11 de dezembro.

A justiça pediu também informações complementares a Andorra e ao Liechtenstein sobre as contas bancárias presumíveis de Jordi Pujol e familiares.