John Sewel, lorde escocês do parlamento britânico, foi suspenso, nesta segunda-feira, pelo Partido Trabalhista e enfrenta a expulsão da Câmara dos Lordes depois de ter sido filmado alegadamente a consumir cocaína na companhia de prostitutas.
 
As imagens foram publicadas pelo tabloide The Sun, que no domingo fez manchete com John Sewel vestido com um soutien e um casaco pertencentes a uma das mulheres que estariam na sua casa, em Dolphin Square, Westminster, bairro próximo à Câmara dos Lordes.
 
Sewel, de 69 anos, ainda não se pronunciou sobre as imagens, mas, de acordo com a BBC, terá já renunciado, voluntariamente, à vice-presidência da Câmara dos Lordes e à presidência do Comité de Privilégios e Conduta dos Lordes. Afastada não está também a possibilidade de ser alvo de um inquérito policial.
 
No entanto, apesar de alegadamente ter resignado, o lorde não tencionará deixar de ser membro da Câmara dos Lordes e perder um título que é vitalício, segundo fontes contactadas pela BBC junto daquela câmara alta do parlamento do Reino Unido.
 
No vídeo divulgado, John Sewel é filmado em diferentes momentos, como a consumir cocaína, a beber, a relacionar-se com as mulheres e a criticar alguns políticos, incluindo o primeiro-ministro David Cameron.
 
A líder oficial da Câmara dos Lordes, a baronesa Frances D’Souza, condenou já publicamente o comportamento de Sewel, considerando-o “chocante e inaceitável”, e prometeu levar o caso até às últimas instâncias, incluindo a Polícia Metropolitana.

"A Câmara dos Lordes seguirá mantendo os seus padrões de vida pública e não tolerará qualquer desvio. Estas acusações extremamente graves serão remetidas ao comissário da Câmara dos Lordes e à Polícia Metropolitana para que sejam investigadas com urgência", afirmou D'Souza.