O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, foi espiado por Israel. A afirmação é feita pela revista alemã «Der Spiegel», que cita fontes anónimas mas «dos serviços de segurança», como refere a Reuters.

Embora na sua casa em Georgetown, Kerry tenha linhas telefónicas seguras, quando viaja, costuma usar telefones comuns que permitiram aos serviços secretos captarem as suas conversas.

«Algumas destas conversas foram ouvidas por dois serviços secretos ¿ um deles, o israelita», escreve a revista, que acrescenta que «provavelmente russos e chineses também ouviram».

Segunda a «Der Spiegel», Kerry sabia que corria riscos por usar telefones vulgares, mas considerava as suas conversas pessoais mais importantes do que os conselhos dos serviços de segurança.

A revista tentou obter uma reação dos serviços secretos israelitas e do Departamento de Estado norte-americano, mas sem sucesso.