O Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse ao Presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, saudar a libertação de quatro líderes acusados de rebelião e traição.

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos manifestou-se, porém, «seriamente preocupado» com o conflito na mais jovem nação do mundo, o qual já causou milhares de mortos e mais de um milhão de deslocados internamente, levando as Nações Unidas a alertar para uma iminente catástrofe humanitária no país.

Numa conversa telefónica, John Kerry fez referência à recente violência em Bentiu e Bor, onde, apontou, os ataques de grupos armados de ambos os lados do conflito visaram deliberadamente civis, indicou a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, em comunicado.